ARTISTA OUREMENSE É PREMIADO NA LEI ALDIR BLANC ESTADUAL

- PAULO AUGUSTO: UM ARTISTA DOS PÉS AO GOGÓ –


O artista ouremense Paulo Augusto foi premiado no edital de Culturas Populares Lei Aldir Blanc Pará da Secretaria de Estado de Cultura – SECULT. O projeto “A Obra Musical do Mestre Cardoso: Entre o Tradicional e o Moderno” ficou entre um dos 150 projetos premiados, concorrendo com mais de 600 projetos de todo o Estado.

Mashup, termo emprestado da língua inglesa, que em um conceito mais geral, trata-se de um mescla musical para uma canção ou conjunto delas, é um recurso muito utilizado para dar à arte um trato de inovação, “transformando” seu conteúdo original sem descaracterizá-lo, protegendo-o, inclusive, em sua redoma de direitos autorais. O projeto busca tanto o reconhecimento da grandiosa obra de Mestre Cardoso, quando a possibilidade de reinventar enquanto linguagem.

Mestre Cardoso, em sua extensa obra musical, traz as raízes do boi-bumbá ou bumba-meu-boi, em canções narrativas sobre a história do lugar em que vive e escolheu como “pátria”, conjuntamente, consegue através de versos cantados, retratar a alma de um povo e seus costumes. Investir na riqueza dessa obra sob um olhar “moderno”, parece-nos o espetáculo perfeito, quando, na sua implementação, conseguimos unir as batidas do tambor aos sons de uma guitarrada, por exemplo. Dentro desse mashup musical, o projeto se sobressai por atrair um público também diversificado, valorando as tradições culturais sob uma perspectiva moderna. Vale ressaltar que, dessa mistura, a música ganha por não se manter estática, por se (re) inventar enquanto linguagem sem perder de vista a perspectiva de que está viva e suscetível à novos olhares, aos novos públicos e novos formatos.

Paulo Augusto, nascido e criado em Ourém, mantém firmes suas raízes. Assim como fruta da terra, mantém os sabores e dissabores de viver em uma região que consegue, na medida certa, unir cultura e valores. A música, que sempre lhe despertou fascínio, ele carrega como produto vital. Gravou seu primeiro disco na década de 80, classificado, na época, como o melhor de disco de MPP, superando nomes importantes do cenário musical paraense. Nessa mesma época, integrando um grupo de artistas criativos, ajudou a implementação do Festival da Canção ouremense (reconhecido nacionalmente como um dos mais importantes e significativos projetos cultural e musical da região norte) vigente até hoje. Sua voz rouca da Crooner, ecoou em muitos desses festivais, tendo sido laureado como interprete. No entanto, fora o contexto do reconhecimento por parte do público e da crítica, repousa em sua história musical a necessidade latente de defender o lugar em que vive e suas manifestações cultuais.

Mestre Cardoso, apesar de não ser nascido na região (Cardoso nasceu na Parnaíba, Piauí, em 4 de janeiro de 1933) escolheu Ourém como lugar para ser feliz, e fez dessas terras um lugar melhor ao trazer seu Boi. Sua obra é reconhecida como uma das mais representativas do gênero, portanto, respeitá-lo como homem-artística é nossa sina e máxima desse projeto. Uma obra que não pode ser esquecida. Ao contrário. Precisa ser apreciada e seu legado vivo e pulsante.

A união desses dois artistas traz ao projeto um caráter inovador enraizado às tradições (tão caras para nós). Um homem vivo em seu tempo e outro que vive em nosso tempo, ou vice-versa. Em suma, o projeto visa apresentar a obra musical do Mestre Cardoso. Sem interferir nos elementos musicais tradicionais, pretendemos adicionar elementos contemporâneos, ilustrando a grandeza da linguagem musical a partir de uma perspectiva “moderna”, e com isso atrair novos públicos para maior divulgação do trabalho do Mestre Cardoso.

Como resultado da premiação, Paulo Augusto fará shows em Ourém em praças e/ou espaços artísticos de forma gratuita, possibilitando assim a participação ativa e massiva da comunidade. As datas dos shows ainda são indefinidas, e estarão de acordo com os cenários de evolução da pandemia de Covid-19. Dependendo do cenário da Covid-19, e respeitando o período de execução do projeto, as apresentações também poderão ser realizadas em formato de lives.

Parabéns Paulo! O Poeta Aldir Blanc sorrir lá de cima com sua premiação. Parabéns Ourém por sua riqueza cultural. Viva Mestre Cardoso!! 
Ver menos
 
 
 
Texto e foto Valério Gomes
 
 
 
Comentar
 
 
Compartilhar